os trabalhos e os dias vivendo o sonho e a realidade ao mesmo tempo (1)

28Dec/05Off

Malária – All Because of You

Este textinho ficou inacabado nos drafts do WordPress desde 1 de Dezembro, Dia da Restauração da Independência. Hoje é Dia de Limpezas: alguns vão para o lixo, mas vou dar uma oportunidade a esta criaturinha imperfeita. Lembrei-me dele ao ouvir uma canção nova (linda) dos Echo & the Bunnymen, All Because of You Days, uma canção que não tem nada a ver com isto:

"One of us is you
And one of us is me
Broken frozen equal parts
Broken hearts breaking free"

Lindo e triste, como há vinte anos. E quase a responder a um poema que ficou lá mais abaixo. And now for something completely different:

Duas babas na perna, uma na barriga, fui picado pelos mosquitos a noite passada - finalmente. Noutras latitudes não merecia duas linhas, aqui tudo muda. Era uma Anopheles? Estava infectada? Contaminou-me com o parasita da malária? Sim, a noite passada pode ter mudado a minha vida, como num amor adolescente.

Cada um tem a sua razão para não tomar mefloquina. Francisco : "porque me ataca o fígado"; David: "porque me causa alterações de temperamento e faz com que ande três dias em não posso nem ver ninguém"; Henrique: "porque me dá cabo do estômago" ; Joaquim: "porque não protege de nada"; Pedro: "porque fico deprimido"; Manel: "mais vale beber gin tónico". Fala o Jorge, o do quarto ao lado, médico, de Moçambique: "eu tomo, não brinco com essas merdas".

E eu? Porque não tomo a mefloquina? Não tomo porque faz enferrujar as carcaças dos camiões e Toyotas Hiace na beira das estradas, porque faz apodrecer a água verde das poças, porque ergue um clamor nocturno de buzinas sobre esta cidade. Não tomo porque atrai nuvens cinzentas que abafam o céu dias e dias, porque me faz lembrar do cheiro das pessoas que quero e não tenho comigo, porque enche a baía de dejectos e lixo . Mentirinha, tomo sim. Acabei de tomar.

Hoje é quinta-feira, dia da Mefloquina.

E esta última frase era por onde eu queria começar a escrever, mas por onde não continuei.

Comments (0) Trackbacks (0)

Sorry, the comment form is closed at this time.

No trackbacks yet.