os trabalhos e os dias vivendo o sonho e a realidade ao mesmo tempo (1)

2Feb/06Off

SMS da noite passada

Os caes ladram. Parece que estou mt longe, mt mais do q 6000km. Perco-me, esqueco-me. Quase sem angustia. E' assim, assim seja. Dormir, acordar, nao sonhar. Sinto o tempo q passa como um bicho na minha pele.

Enviada: 01:13:09 02-02-2006

2Feb/06Off

ouvisto nas ruas de luanda

"o meu problema é indisuperável, é indisolucionável!"

caranguejo com ar indisuperável

24Jan/06Off

Cães da Pradaria

Todos reparamos nisso, mas foi o Ângelo que comentou: o empregado do restaurante movia-se inquieto, esperava os nossos pedidos olhando para todo o lado à sua volta: para nós, para o tecto, para as mesas "na sua trás", para o chão, para os lados, todos os lados, nervoso, incessantemente. Como um cão da pradaria. É demasiado novo para ser trauma de guerra, comentámos. Antes, no tempo antes da paz, tinha de se viver assim, atento, alerta, avaliando cada hipótese de perigo, concordámos. Agora não, só pode ser doença, já não há que viver assim, há lojas e já se recolhe o lixo.

Ontem, ao chegar a casa, noite escura, não havia àgua nem um dos 6 mil litros do nosso depósito. A bomba arquejava, arfava em vão. Experimentei todos os disjuntores do quadro até a desligar, a pobre. Devia estar pelo menos ferrada. Investiguei: a torneira de segurança estava fechada, talvez há uma semana, tinhamos gasto toda a água sem nunca reabastecer. Abri a torneira: azar, naquele momento não havia água na nossa parte da cidade. Durante a noite lá acabou por voltar, todos os 6 mil litos a que temos direito, mas de pouco nos serviu de manhã, a bomba recusou-se a ajudar. Muita coisa se pode fazer com os toalhetes poupados da TAP e garrafas de água do Luso.

Nessa manhã fui ao escritório; fica no 17ºandar de um dos prédios mais altos de Luanda. Vista linda, linda. Ao descer o elevador deu uns saltinhos, parou, a luz apagou-se, acendeu novamente, o elevador abanou, parou, a luz apagou e assim ficou. Ainda bem que só estavamos três pessoas ali, pensei. Já aconteceu estes elevadores cairem, pensei a seguir. Procurei o botão de alarme no escuro, mais para me entreter do que por fé na sua eficácia. O tempo passou, não muito. O elevador acordou e desceu com vagar até ao piso térreo.

Sinto-me tentado a escrever aqui alguma coisa, mas não é realmente necessário.

5Jan/06Off

Eterno Retorno

Airbus A-340 no aeroporto 4 de Fevereiro

Eu, um Airbus A340 e um naco do dedo do Caleço no Aeroporto 4 de Fevereiro no dia em que saí de Angola.

Estava contente e tinha pastilhas elásticas de todas as marcas e sabores nos bolsos, nada poderia correr mal. Afinal a cada momento nos arriscamos a ser felizes para sempre.

Gosto desta foto, apesar de estar esborratada, como todas as tiradas com o meu telemóvel. Gosto do meu ar ingénuo e feio com a barba demasiado grande, do A340 ainda com a pintura antiga da TAP, do dedo em frente à objectiva numa foto tirada à pressa antes que alguém viesse pedir-nos dinheiro, da roupa trágicamente desadequada ao Inverno português que me esperava. Tem sido a minha imagem do Mailfriends, mesmo com um texto que diz ainda "last Friday" quando "last Friday" já foi algures no fim do ano passado.

Não sei com que cara vou embarcar de regresso a Luanda. Vai ser em breve. Volto diferente, claro. O Caleço não volta, a quem prepararei o GT? Tudo muda, mesmo se às vezes é preciso forçar a mudança. Lembrem-me de levar livros, sim?

sempre coisas que correm mal.

4Jan/06Off

o último CD

Niño Rojo - Devendra BanhartO último CD que comprei na minha vida foi o Niño Rojo do Devendra Banhart. É lindo. Foi barato, só 9 euros. Lembro-me disso porque o ofereci à Du ainda com o preço. Não vou comprar mais porque ela não o consegue ouvir. No leitor do carro ainda funciona, mas não no computador portátil. Quer instalar algum software, abre janelas, causa erros, ela não sabe o que fazer. Devia ser simples tocar um disco. Inserir, play, já tá. Devia ser simples oferecer um disco: "toma lá, é para ti", "obrigado, beijinho", "olha, gostei muito do CD que me deste". Mas não. O telefone toca, a Dulce está perplexa, quer ouvir o CD e não consegue. Ela só queria pôr o CD e que ele tocasse enquanto ela trabalha: ela não tem tempo para resolver problemas informáticos. Eu tento, estou longe, não consigo. Para a próxima faço download do disco no SoulSeek e gravo-o, pronto. Não é tão bonito, dá trabalho, mas paciência.

Não sei se estou a fazer o boicote. Estou farto, é só isso.

Filed under: Querido Diário 1 Comment
28Dec/05Off

Malária – All Because of You

Este textinho ficou inacabado nos drafts do WordPress desde 1 de Dezembro, Dia da Restauração da Independência. Hoje é Dia de Limpezas: alguns vão para o lixo, mas vou dar uma oportunidade a esta criaturinha imperfeita. Lembrei-me dele ao ouvir uma canção nova (linda) dos Echo & the Bunnymen, All Because of You Days, uma canção que não tem nada a ver com isto:

"One of us is you
And one of us is me
Broken frozen equal parts
Broken hearts breaking free"

Lindo e triste, como há vinte anos. E quase a responder a um poema que ficou lá mais abaixo. And now for something completely different:

Duas babas na perna, uma na barriga, fui picado pelos mosquitos a noite passada - finalmente. Noutras latitudes não merecia duas linhas, aqui tudo muda. Era uma Anopheles? Estava infectada? Contaminou-me com o parasita da malária? Sim, a noite passada pode ter mudado a minha vida, como num amor adolescente.

Cada um tem a sua razão para não tomar mefloquina. Francisco : "porque me ataca o fígado"; David: "porque me causa alterações de temperamento e faz com que ande três dias em não posso nem ver ninguém"; Henrique: "porque me dá cabo do estômago" ; Joaquim: "porque não protege de nada"; Pedro: "porque fico deprimido"; Manel: "mais vale beber gin tónico". Fala o Jorge, o do quarto ao lado, médico, de Moçambique: "eu tomo, não brinco com essas merdas".

E eu? Porque não tomo a mefloquina? Não tomo porque faz enferrujar as carcaças dos camiões e Toyotas Hiace na beira das estradas, porque faz apodrecer a água verde das poças, porque ergue um clamor nocturno de buzinas sobre esta cidade. Não tomo porque atrai nuvens cinzentas que abafam o céu dias e dias, porque me faz lembrar do cheiro das pessoas que quero e não tenho comigo, porque enche a baía de dejectos e lixo . Mentirinha, tomo sim. Acabei de tomar.

Hoje é quinta-feira, dia da Mefloquina.

E esta última frase era por onde eu queria começar a escrever, mas por onde não continuei.

26Dec/05Off

a vida sem mailfriends

No connection could be established to the database. We are aware of the problem, and will attend to it shortly. Sorry for the inconvenience.

O Mailfriends está em baixo. Há 3 dias. Apercebo-me da minha dependência. Custa.

Será que vai voltar, que o Michal e o Fabian apenas estão fora a passar o Natal com a família ou será que desistiram de vez, que já não há euros para sustentar tanta coisa, que se lhes acabou a paciência?

Tento abrir a página várias vezes por hora. Nada. Ainda nada.

12Dec/05Off

Porco Matreiro

Miriam AKA Miss Rules Breaker lol
Miriam AKA Miss Rules Breaker ;9
MauPastor o que é ;9 ??
MauPastor porco matreiro?
Miriam AKA Miss Rules Breaker lol
MauPastor tás a ver?
Miriam AKA Miss Rules Breaker tou, claro!
Miriam AKA Miss Rules Breaker Ora essa
MauPastor ah, pensei q erta uma laucinação minha :)
MauPastor alucinação
Miriam AKA Miss Rules Breaker NAO!
Miriam AKA Miss Rules Breaker lol
Miriam AKA Miss Rules Breaker tbm pensei nisso qd o vi!
MauPastor ok, andamos os dois a meter o mesmo para a veia
;9 Porco Matreiro :)
Miriam AKA Miss Rules Breaker LOL

11Dec/05Off

Andre4

zmoreira 05 Dec 2005 19:48
Halló! :) I could use some of that cold here. The remote control for the air conditioning in my room is not working. :( I don't know how I'm going to sleep tonight, I'll have to sleep on the living room (where the air conditioning still works), but I don't want that because big cockroaches come in crawling under the front door sometimes! :( I hate them!

zmoreira 06 Dec 2005 08:23
By email attachment of course! In the end it rained here so the night was quite cool, I was lucky. However I slept too much and had my driver waiting for half a hour, I hate to make people wait.

zmoreira 06 Dec 2005 22:11
Well, you would hate it here! Lots of unpleasant bugs... And huge lizards! But there are also some nice creatures, like beautiful birds and friendly monkeys. Today I saw a flock of pelikans flying over me, it was really nice to see.

zmoreira 07 Dec 2005 22:45
Is it too cold in Iceland for insects? I mean there must be mosquitos and flies and things like that, or can't they survive your winters? How cold is it now?

zmoreira 08 Dec 2005 16:24
This morning I remembered our conversation. I saw a big butterfly, a beautiful big yellow and black butterfly and I thought that maybe it is worth while to have to deal with the mosquitos and cockroaches and spiders just to be able to see such a beautiful thing. It was a noble thought, but no doubt I will change my mind if I get malaria here! :) Anyway, it's good for you to live in Iceland, every place has it's compensations. I bet that when you will travel to a warmer country your luggage will be full of insect repellent. :)

PRIVATE MESSAGE FROM
zmoreira (Portugal) sent 09 Dec 2005 20:10
I have to be more careful with the things I say. Yesterday I wrote :"It was a noble thought, but no doubt I will change my mind if I get malaria here!" . Well, today I woke up with a fever and stayed all day like that. I just returned from the hospital and , yes, I have got malaria.

Oh well...

PRIVATE MESSAGE FROM
andre4 (Iceland) sent 09 Dec 2005 21:03
are you not joking? hahh, what a coincidence, then dont say someday "tomorrow I'll die" it could happen :P

1Dec/05Off

Restauração da Independência

Esta madrugada pensei na Independência. E na Dependência. Foi uma longa madrugada, pensei em muita coisa. Lembrei-me do António Variações: dar e receber devia ser a nossa forma de viver. O Deve e o Haver destas trocas nem sempre é comércio justo: alguém dá mais, alguém quer receber sempre mais. Lembrei-me de alguns versos do meu poema preferido em língua inglesa: diz Donne "Let us possess one world ; each has one, and is one". E nem sempre pode ser assim, nem todos querem viver assim. Mas é mais triste. O mundo não é assim, mas que bom seria que fosse. Se não conseguimos libertar-nos da ilusão seguindo o Caminho do Sr. Buda, não podemos ao menos criar um pouco de sonho na realidade fingida que nos resta? Diz a minha Emily : "I ’m nobody! Who are you? Are you nobody, too?". Obrigado, querida Emily. Lembrei-me do Nick Cave: "A life-sentence sweeping confetti from the floor of a concrete hole // I let love in". Devia haver mais alegria no mundo. E depois disseram-me: "feliz dia da Independência". Sim, na dependência não há felicidade. Não sei, volto a Donne :

My face in thine eye, thine in mine appears,
And true plain hearts do in the faces rest ;
Where can we find two better hemispheres
Without sharp north, without declining west ?
Whatever dies, was not mix'd equally ;
If our two loves be one, or thou and I
Love so alike that none can slacken, none can die.

P.S. para ti: o poema chama-se "bom dia".